Artigos

Compartilhe!

equinocio-da-primavera
Veja Também:

Equinócio da Primavera

Publicado em: 21/09/2010

Por: Dimitri Camiloto

Nesta quinta-feira às 00h10min, com o Equinócio da Primavera, o Sol ingressa no signo de Libra. O dia e a noite têm exatamente a mesma duração, com 12 horas para cada um, e a nova estação tem início.

Trata-se de um fenômeno que ocorre duas vezes por ano. Em março, quando começa o Outono, e em setembro, quando chega a Primavera. Ambas as palavras originam-se do latim: Equinócio (aequus=igual; nox=noite) e Primavera (primo=começo; vere=verão).

Durante os equinócios, a duração do dia e da noite é a mesma porque é quando o Sol, com exatidão, nasce no Leste e se põe no Oeste. Após esse momento, temos a impressão de que Astro-Rei vai gradativamente se afastando desses dois pontos cardeais para, na medida em que o equinócio seguinte estiver se aproximando, ele retorne aos poucos.

Como a Primavera marca uma fase de renascimento da Natureza pelo fim do período de hibernação e recolhimento que caracteriza o Inverno, essa passagem sempre foi vista como a transição de um tempo de trevas para um tempo de luzes. Ela é, realmente, um momento especial do ciclo das estações. É muito bom sair para desfrutar o mundo lá fora; tudo à nossa volta tende a ficar mais agradável: o canto dos passarinhos, as flores que desabrocham tornando o ambiente mais bonito e perfumado, as cores que ficam muito mais vivas, os passeios que ficam mais alegres e divertidos... Há, de fato, mais poesia nos corações mandando para longe a melancolia tradicionalmente associada ao Inverno.

Ocorre uma inversão: a abundância de luz e energia solar abandona o hemisfério norte e se dirige ao hemisfério sul, fazendo com que aqui as pessoas se tornem mais receptivas para o mundo exterior e, consequentemente, umas com as outras. Ao ingressar em Libra, o Sol dá início a um período regido por Vênus em que os relacionamentos, o convívio, a harmonia, o senso estético e o bom gosto passam a ser mais privilegiados. Os três meses da Primavera compreendem os signos de Libra, Escorpião e Sagitário, os quais têm entre os seus predicados o acasalamento, a cópula e a capacidade de desfrutar mais livremente a rua e os ambientes.

Não à toa, Libra traz a chegada da estação romântica. É natural que as pessoas se embelezem mais e se busquem entre si. Este é um signo que reparte o Zodíaco em duas metades: a primeira, que vai de Áries a Virgem, marca o desenvolvimento do indivíduo, ao passo que a sequência de Libra a Peixes simboliza o desenvolvimento de sua socialização. Libra é união. Constituído o indivíduo, ele precisa relacionar-se efetivamente, ter mais contatos que os vínculos familiares e vicinais de Gêmeos, Câncer, Leão e Virgem. Em Libra ele vai encontrar pessoas de outras origens e ambientes.

Justamente por possuir esse atributo de mediação entre duas partes, Libra é o único dos signos que não é representado por seres humanos ou animais: trata-se de uma Balança. Numa busca constante por equilíbrio em seus relacionamentos e em suas atitudes, Libra prima pelo desejo de perfeição e harmonia.

Para os librianos, a idealização da imparcialidade e uma apreciação estética de natureza mais refinada são indispensáveis para conviver com as pessoas e os ambientes que os cercam. A necessidade de colaboração e concordância é essencial para este signo. São diplomatas natos, mediadores, facilitadores. Por outro lado, quando têm de fazer algo totalmente sozinhos, podem sentir insegurança e uma certa dificuldade em decidir.

Em algumas ocasiões, os librianos são criticados por precisarem muito dos outros e pela falta de profundidade que a preocupação com a aparência pode trazer. É que eles têm uma visão das coisas mais abstrata, como todos aqueles que nasceram em signos do elemento Ar. Contudo, nem sempre aquilo que idealizamos tem lugar na vida real. Os pontos fracos de Libra são a indecisão na busca da solução sempre perfeita, excesso de diplomacia em situações que peçam mais firmeza, a preocupação com o que os outros pensam e a dificuldade em dizer não.

A principal lição que este signo vem trazer é a descoberta de que precisamos uns dos outros tanto mais as nossas vidas se entrelacem. E que a harmonia, a beleza, o equilíbrio e a justiça são as chaves-mestras do convívio. Áries aqui tem muito a aprender - principalmente aqueles mais agressivos -, posto que são signos complementares. E Libra, também tem muito a aprender com Áries, pela sua assertividade e coragem.

Com a segunda metade do Zodíaco, inicia-se então o entendimento dos dualismos complementares. É hora de somar e repartir. É hora de viver mais em companhia dos outros. É a chance do encontro. Libra exige a resolução da busca por nosso complemento, ensina como criar e manter o equilíbrio em uma forma estética. Quando isso ocorre, tudo que é exterior ao indivíduo pode se harmonizar com a sua vida e vice-versa. E as relações e associações conseguem desabrochar.

Agora sabemos um pouco mais porque a Primavera é um momento tão especial: é que ela espelha uma condição de beleza e harmonia envolvendo a Natureza e todas as criaturas que nela tomam parte. Dia e noite em equilíbrio, convém nos afeiçoarmos a este espírito!



Compartilhe!

Dimitri Camiloto

Dimitri Camiloto

Biografia:

dimitricamiloto@gmail.com É astrólogo e Mestre em Sociologia e Antropologia pela UFRJ. Já palestrou em cidades como São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Buenos Aires.

+ Deste autor