Artigos

Compartilhe!

ying-e-yang
Veja Também:

Ying e Yang

Publicado em: 04/05/2011

Por: Flavia Penedo

Hoje em dia, num mundo tão atribulado, estressante e corrido como o que vivemos, as pessoas parecem estar cada vez mais em busca de harmonia. Mas será que é tão difícil assim? O que acontece é que essa palavrinha tão almejada não pode ficar só pairando na mente, como se fosse um ideal distante a ser alcançando. Precisa ser trazida para o concreto, para a vivência diária, até que se torne um estado de espírito real, integrado internamente.

Como você lida com o seu mundo interior? De que forma você encara e se relaciona com as mais diversas situações que ocorrem na sua vida, ou no dia a dia? Você vive apressado, ansioso? Suas emoções entram em conflito com seus pensamentos? Seus problemas te sufocam e oprimem, ou você busca sempre um maior entendimento e a melhor forma de lidar com eles?

Aqui podemos traçar um paralelo interessante com a teoria do Yin e do Yang, base da Filosofia Taoísta, de onde se originou todo o sistema da Medicina Tradicional Chinesa. De acordo com esta concepção de mundo, todo o universo é um campo unificado, que está em constante movimento e mutação e, desta forma, mantendo seu equilíbrio. Ou seja, a natureza se expressa em um ciclo interminável de opostos, como dia e noite, calor e frio, claro e escuro, atividade e repouso. São opostos complementares e interdependentes, um princípio feminino e um masculino, um não existe sem o outro, não faz sentido sem o outro, o que cria, assim, a idéia de que uma situação de equilíbrio jamais poderá ser extática, porque onde há vida, há necessariamente movimento, pulso e transformação constantes. Portanto, para que haja uma estabilização dinâmica do universo, essas forças opostas se harmonizam entre si o tempo inteiro, sem jamais deixarem de existir ou se separarem, já que uma é parte integrante da outra.

Assim é, da mesma maneira, com a natureza humana. Tudo em nós possui uma parte yin e uma yang, tanto externa quanto internamente, sendo uma o reflexo da outra e, então, podemos concluir que estamos também sempre buscando esse tempero dentro de nós, tentado conciliar nossos atos, nossas reações, nossos sentimentos conflitantes.

Conquistar harmonia nada mais é que buscar, a cada dia, uma cura interior e perceber que esta só se realiza através do equilíbrio dos sentimentos e da complementação entre os planos mental e emocional, entre o consciente e o inconsciente, os sonhos e os fatos, corpo e espírito, recolhimento e ação. É quando temos a oportunidade de fazer, internamente, o casamento entre a razão e a emoção, o masculino e o feminino e todos os opostos que habitam em nós. Essas forças opostas sempre irão existir, portanto, o mais importante é não alimentá-las com uma energia de guerra, mas de cooperação, aceitação e pacificação. A interação entre Yin e Yang forma uma dinâmica agradável, jamais de rivalidade.

Ao ter consciência de que o movimento nunca cessa, o exercício é tentar seguir no fluxo, sem lutar contra, acolhendo e aceitando a existência e a presença do pólo oposto. Não se pode parar o movimento da vida, não se pode controlar tudo. Busque então agir de forma equilibrada e adaptada ao ritmo da natureza. Quando estamos centrados, não há desgaste, nem perdas, não há tensão, nem ansiedade por resultados rápidos, não há esforço. Desta forma, ficamos mais abertos às intuições e as soluções acabam chegando mais facilmente.

Compartilhe!

Flavia Penedo

Flavia Penedo

Biografia:

Massoterapeuta há 10 anos, com especialização em Terapia Floral, Aromaterapia e Terapia com cristais.

+ Deste autor